Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Gaúcha do Norte,27 de Junho de 2022 - Segunda Feira

Lewandowski suspende última ação penal contra Lula

Lula se tornou réu no ano de 2016

JUSTIÇA | 03/03/2022 - 09:55:44


Foto: Divulgação/arquivo

O ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski suspendeu na quarta-feira, 2, uma ação penal contra o ex-presidente Lula (PT), referente à Operação Zelotes. Esta era o último caso contra o petista que ainda tramitava na Justiça.

Lula se tornou réu em 2016 na ação, que trata de supostos crimes cometidos na compra pelo governo de 36 caças suecos Gripen. O inquérito tramitava na Justiça Federal no Distrito Federal, e também havia se tornado réu Luis Cláudio Lula da Silva, seu filho.

Lewandowski decidiu acatar os argumentos da defesa, que usou como provas as mensagens trocadas entre procuradores obtidas ilegalmente por hackers e, depois, apreendidas na Operação Spoofing, da Polícia Federal.

“Os procuradores da República responsáveis pela denúncia referente à compra dos caças suecos agiam de forma concertada com os integrantes da ‘Lava Jato’ de Curitiba, por meio do aplicativo Telegram, para urdirem, ao que tudo indica, de forma artificiosa, a acusação contra o reclamante [Lula]”, sustentou.

egundo ele, havia, por parte dos procuradores, “quando menos, franca antipatia e, em consequência, manifesta parcialidade em relação” a Lula.


O caso

Lula e o filho eram acusados de participar de um esquema de tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa envolvendo a compra de 36 caças Gripen, da sueca Saab, pelo governo brasileiro.

Segundo o Ministério Público Federal, houve uma simulação de prestação de serviços por uma firma de Luís Cláudio, que recebeu R$ 2,55 milhões de um escritório apontado como sendo de lobistas.

Defesa de Lula

Os advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins e Valeska T. Zanin Martins, divulgaram uma nota comemorando a decisão do ministro do Supremo.

“Além de aplicar o melhor Direito ao caso concreto, a decisão é um importante registro histórico sobre o uso estratégico do Direito para fins ilegítimos (lawfare), que foi praticado pela ‘Operação Lava Jato’, que atacou o próprio Estado de Direito e feriu a Democracia no país”, disse a defesa do petista.


Fonte: Revista Oeste

Política - 24/06/2022

Adolescente usa ferro em brasa para marcar 22 de Bolsonaro na pele

Caso ocorreu em Mirassol D’ Oeste (300 km a Oeste de Cuiabá)

Querência - 22/03/2022

Vereador que sacou a arma para outro em Querência é policial aposentado; ele pode ser cassado por quebra de decoro

O policial aposentado foi impedido de atirar por um policial militar que estava na casa de leis acompanhando a sessão

JUSTIÇA - 19/10/2021

TJ afasta Emanuel Pinheiro da Prefeitura; chefe de gabinete é preso

A Prefeitura será assumida pelo vice-prefeito, José Roberto Stopa (PV)

Governo Federal - 26/09/2021

Bolsonaro testa negativo para a Covid-19

Teste ocorreu no Palácio da Alvorada, em Brasília.

Ver todos

SELECT * FROM mega_noticias WHERE status > '1' and publicacao <= '2022-06-27 02:10:00' and cat='25' and cod_mega!='6200' ORDER BY publicacao DESC limit 4


Quer receber as notícias do Gaúcha News no seu e-mail? Cadastre-se!