Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Gaúcha do Norte,18 de Janeiro de 2022 - Terça Feira

Estuprador em série é identificado com ajuda de confronto de DNA em banco de perfis

Acusado trata-se de Célio Roberto Rodrigues, que também utilizava o nome de Herley Nascimento Santos

MATO GROSSO | 09/03/2016 - 13:25:01


O autor de quatro estupros, dentre eles de uma criança de 11 anos, foi identificado por meio de exame de DNA, com auxílio do Banco Nacional de Perfis Genéticos, em Mato Grosso. O acusado trata-se de Célio Roberto Rodrigues, que também utilizava o nome de Herley Nascimento Santos, atualmente preso em Rondônia.

De acordo com a Polícia Civil,  no período em que permaneceu foragido em Mato Grosso, ele cometeu quatro estupros com o mesmo modo de atuação. O primeiro registro é de  2013. Na sequência, existem outros três em 2015, nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande. Entre as vítimas está uma criança de 11 anos de idade.
As informações genéticas de vestígios coletados nas vítimas foram confrontadas com o perfil de DNA do suspeito, a pedido da Delegacia de Defesa da Mulher, e tiveram resultado positivo.

Conforme a administradora estadual do Banco de Perfis Genéticos em Mato Grosso, perita criminal Ana Cristina Lepinsk Romio, foi o primeiro registro de crime sexual serial solucionado pelo cruzamento de informações genéticas com outro Estado. “Com a prisão do acusado em setembro do ano passado em Rondônia, a delegada Eliane Moraes se deslocou até o Estado para acompanhar a coleta de material genético do suspeito e encaminhá-lo para a perícia, juntamente com a indicação dos casos em que houve o mesmo modus operandi’, explicou.

 A partir de então, o Laboratório Forense começou a separar, processar e comparar as amostras. Dois meses depois, as provas de que os crimes foram cometidos pelo mesmo autor começaram a ser confirmadas.
O passo seguinte, segundo a perita, foi inserir o perfil do criminoso no Codis (sistema de indexação de DNA), e realizar as buscas no banco de dados nos estados que fazem parte da Rede Nacional de Banco de Perfis Genéticos, para localizar possíveis vestígios de outros crimes cometidos pelo suspeito. “As amostras de DNA estão custodiadas pela Politec, mas os crimes não estão esquecidos. É um trabalho silencioso e integrado que está dando respostas’’, comentou.

Em menos de um ano de sua implementação em Mato Grosso, o Banco de Perfis Genéticos já conta com 153 perfis inseridos, sendo 16 perfis de Restos Mortais Não Identificados, 109 de vestígios de local de crime, 19 de crimes sexuais e três amostras de referência de familiares de pessoas desaparecidas.


Fonte: Olhar Direto

EXPANSÃO - 15/01/2022

Primacredi irá dobrar o número de agências em 2022

Cooperativa estima a abertura de 30 pontos de atendimento no Estado

Água Boa - MT - 12/01/2022

Prefeito de Água Boa solicita apoio técnico da Defesa Civil Estadual devido as fortes chuvas no município

A grande quantidade de chuvas vem preocupando as autoridades

AGRONEGÓCIO - 09/01/2022

MT foi responsável por 25% das exportações de soja do país

O volume é 5% maior do que 2020 e superou o recorde de 2018, que era de 83 milhões de toneladas.

MATO GROSSO - 07/01/2022

Governo de MT publica edital para cadastro de reserva com 1.200 vagas para a Segurança Pública

No entanto, ainda não há data para a convocação dos classificados.

Ver todos

SELECT * FROM mega_noticias WHERE status > '1' and publicacao <= '2022-01-18 18:49:48' and cat='26' and cod_mega!='2297' ORDER BY publicacao DESC limit 4


Quer receber as notícias do Gaúcha News no seu e-mail? Cadastre-se!