Gaúcha do Norte,19 de Outubro de 2018 - Sexta Feira

Grupo de Combate ao Tabagismo encerra ciclo de encontros semanais com 90% de aproveitamento

Entrega de medicamentos e adesivos fazem parte do tratamento

16/07/2018 - 20:30:22


Na manhã da última sexta-feira (13), a academia da saúde Loida Feroldi encerrou os encontros semanais do grupo Respire Fundo - grupo de Combate ao Tabagismo com grandes conquistas. Apenas com alguns encontros, muitos participantes abandonaram o vício e outros diminuíram consideravelmente o uso de cigarros no seu dia-a-dia, o aproveitamento chega a 90%.

Com persistência e força de vontade, Paulo de Oliveira de 49 anos de idade é um dos participantes do grupo, ele foi fumante por 35 anos e parou de fumar com apenas duas semanas participando das atividades. "Parei com o objetivo de melhorar minha saúde, eu tinha bastante canseira e falta de fôlego e também para melhorar o convívio em casa, todos me pedindo para parar, então decidi participar. Desde que comecei o tratamento e larguei o cigarro tenho me sentido bem melhor. Meu objetivo agora é seguir o tratamento", disse ele.

O programa de combate ao tabagismo é preconizado pelo Ministério da Saúde e as profissionais da academia da saúde seguem os protocolos do Instituto Antitabagismo. “Os medicamentos são disponibilizados pelo Ministério, que são os comprimidos da substância bupropiona que é um antidepressivo, mas com uma ação bem efetiva contra a dependência da nicotina, e também a reposição de nicotina na forma de adesivo, mas para isso acontecer o paciente tem que suspender o consumo diário do cigarro. Os medicamentos disponibilizados também orientam a participar de grupos de apoio, porque não é só o medicamento que é efetivo nessa dependência de nicotina, as reuniões com palestras de aconselhamento, de orientação tanto da parte  nutricional como da parte psicológica tem bastante efetividade no resultado final do tratamento", disse a farmacêutica Édina Massambani responsável pelos medicamentos distribuídos aos participantes.

Após uma semana de orientação e tendo passado por consulta médica e com prescrição, o paciente passa a receber a medicação. “É um ano de acompanhamento, quanto a medicação vai do resultado de cada paciente. Nesse primeiro ciclo tivemos um resultado muito bom de pacientes que já reduziram o consumo de cigarros ou já pararam de fumar. É um resultado muito eficiente em pouco tempo por isso é preconizado um ano de monitoramento, não sendo necessariamente medicamentoso mas com consultas psicológica, nutricional farmacológica”, finalizou a profissional.

Para a psicóloga da academia Michele Pancotte a ideia surgiu devido ao grande número de procura para tratamento de tabagismo por parte dos usuários e seus familiares. “A partir dessa procura, conseguimos a medicação e adesivos que fazem parte do tratamento para seguirmos o protocolo do Ministério da Saúde. Em cada encontro seguimos as orientações para intervenção ao tratamento de tabagismo, com a equipe multidisciplinar, composta por psicóloga, farmacêutica, assistente social, nutricionista, enfermeira e médico”, disse.

Sobre o trabalho desenvolvido e os bons resultados, a psicóloga afirmou, “está sendo muito gratificante o desenvolvimento dos encontros, pois estamos percebendo melhora em cada participante individualmente, e o grupo está sendo de suma importância no apoio um do outro e para evitar uma possível recaída. Devido a grande procura, em setembro será iniciado outro grupo de combate ao tabagismo”.

RESPIRE FUNDO

O grupo foi iniciado no dia 15 de junho e conta com palestras, conversa com profissionais e distribuição de medicamentos e adesivos. Após a apresentação, quatro encontros estruturados e realizados semanalmente abordaram temas como: entender por que se fuma e como isso afeta a saúde; os primeiros dias sem fumar; como vencer os obstáculos para permanecer sem fumar e benefícios obtidos após parar de fumar.

De agora em diante os encontros serão com sessões de manutenção, sendo dois quinzenais nos dias 27 de julho e 10 de agosto e a partir dai, cinco encontros mensais até dezembro.

Ao final de cada encontro são realizadas sessões de auriculoterapia que auxilia nas questões emocionais, como ansiedade, nervosismo, compulsão alimentar do paciente ao parar de fumar.

 


Fonte: Redação


Quer receber as notícias do Gaúcha News no seu e-mail? Cadastre-se!