Gaúcha do Norte,12 de Novembro de 2018 - Segunda Feira

Ituano derrota o Santos e faz história no Paulista

Itu vence o time da Vila Belmiro por 7 a 6, nos pênaltis

14/04/2014 - 08:04:43


A tarde de domingo (13) foi reserva para diversas decisões de estaduais. Em São Paulo, no estádio Pacaembu, Santos e Ituano decidiram a final do Campeonato Paulista. No primeiro jogo, o Ituano havia vencido o peixe por 1 a 0, levando vantagem para o jogo da capital. 

No primeiro tempo, muito catimba e violência por parte dos jogadores de Itu, que viram Cícero abrir o marcador. Vendo que o estilo de jogo violento não adiantaria, o time do interior passou a jogar como aquele time que eliminou Palmeiras e venceu o Santos no primeiro jogo. A partida terminou com vitória do Peixe por 1 a 0 e foi para os pênaltis.

As cobranças foram disputadas, mas o Ituano, graças ao errou do zagueiro Neto na oitava cobrança, venceu por 7 a 6 e conquistou o segundo título paulista de sua história. Um marcou histórico na vida do time do interior.

O JOGO

O jogo começou elétrico e brigado, independente do favoritismo e grandeza das equipes em campo. O Santos, com maior qualidade técnica, buscava mais o gol, pressionando a equipe de Itu com Thiago Ribeiro e Geuvânio, mas a defesa do Ituano estava atenta.

O Ituano jogava na base da calmaria. Com a vantagem de 1 a 0 conquistada no primeiro jogo, não havia pressa. Em uma dessas, Josa cabeceou escanteio no ângulo, mas Aranha buscou e mandou para escanteio. 

Com o jogo na base das faltas e catimba, Oswaldo de Oliveira pediu calma aos seus jogadores. O Santos tentava colocar a bola no chão e jogar de forma limpa, ma sem criatividade.

Doriva fez o mesmo que o treinador santista, chamou Esquerdinha e pediu calma ao time. Aos 27 minutos, após cobrança de falta fechada, Anderson Salles atrapalhou Aranha, que quase sofreu um frango!

O nervosismo e os chutões estavam presentes no estilo de jogo de ambas equipes. Se a bola não rolava nos pés, Cícero aproveitou a bola parada. Aos 32 minutos, ele cobrou falta e Vagner espalmou para escanteio.

O Santos gostou de oferecer perigo ao adversário. Aos 34 minutos, Cicinho cruzou a bola na cabeça de Leandro Damião. Com o faro de artilheiro, ele cabeceou forte, mas Vagner fez uma boa defesa com o peito. O Santos chegou com perigo novamente aos 40 minutos. Geuvânio viu Damião pedindo a bola no segundo pau e lançou. O atacante ajeito para Cícero, que dividiu com Josa e Vagner e viu a bola tocando na trave antes de sair.

Mas foram necessários mais três minutos até Cícero ser derrubado por Alemão dentro da área e o árbitro marcar pênalti. Penalidade que o próprio meia bateu e converteu, levando os torcedores no Pacaembu a loucura!

No segundo tempo, o Santos tímido e um Ituano jogando como time grande. Deixando de lado a catimba e o jogo violento, os visitantes do interior colocaram a bola no chão e mudaram o espírito do jogo. 

Até os cinco minutos, o Santos ainda não tinha conseguido passar do meio de campo. Já o Ituano, falhava apenas na finalização. Como aos oito minutos, Paulinho e Esquerdinha estiveram com a chance do jogo na mão, mas demoraram para finalizar e perderam a oportunidade. 

Vendo que o Ituano estava maior em campo, Oswaldo de Oliveira tirou Thiago Ribeiro e colocou Rildo. Mas só dava o time de Itu, que dominava o jogo.

O Santos chegou ao gol aos 23 minutos. Rildo dá belo passe para Geuvânio que saiu na cara do goleiro, mas errou o alvo. Rildo deu um novo ânimo ao time santista e começou a criar melhores oportunidades com Cicero. 

Cícero quase marcou em cabeceio aos 31 minutos. O Ituano voltou a assustar aos 37 minutos em cobrança de falta do perigo Anderson Salles, defendido por Aranha. Aos 43, Cícero e Rildo tabelaram, mas o atacante ficou sem ângulo para bater. 

Para aumentar a pressão, o lateral Cicinho cometeu falta feia no final do jogo e foi expulso. A torcida do Santos não parava de gritar e empurrar seu time. A torcida do Ituano, em menor número, gritava com todas as forças. O time poderia fazer história!

Antes dos 48 minutos, Raphael Claus assinalou o final do jogo, mas não a final da decisão. O campeão seria conhecido nos pênaltis!

Jackson bateu firme. Goleiro para um lado, bola para o outro e gol do Ituano. Na sequência, o goleiro quase pegou o chute de Cícero, mas ele acertou no canto. Anderson Salles bateu para o Ituano, mas Aranha defendeu! Alan Santos, que poderia colocar o Peixe na frente, quase perdeu. Ele bateu alto, a bola tocou no travessão, mas entrou no fundo da rede.

Marcelinho, consciente, bateu forte e no alto, sem chances para Aranha. O zagueiro David Braz foi para a terceira cobrança do Santos e bateu forte no canto. 

A quarta cobrança do Ituano estava nos pés de Esquerdinha, ele bateu e marcou um belo gol. Rildo bateu rasteiro, no canto, mas na trave! Marcinho fez e colocou o Ituano na frente, mas Gabriel bateu e deixou tudo igual.

Jean Carlos foi na sequência, bateu bem e balançou as redes. A decisão estava nas mãos de Arouca. Se o volante fizesse, segue as cobranças. Se perdesse, Ituano campeão! O volante foi, olhou para o goleiro, partiu e marcou um belo gol. 5 a 5.

Dener foi para a cobrança com toda a responsabilidade nas costas. De perna esquerda, ele bateu firme, alto e no canto, sem chances para Aranha. A história de Alison era a mesma de Arouca. Responsabilidade nas costas do menino. Ele partiu, tranquilo, e também marcou. 6 a 6.

O volante Josa foi para a oitava cobrança e anotou. A responsabilidade estava novamente com o Santos, nos pés do zagueiro Neto. Ele bateu e Vagner defendeu!


Fonte: SP 247


Quer receber as notícias do Gaúcha News no seu e-mail? Cadastre-se!