Gaúcha do Norte,22 de Outubro de 2018 - Segunda Feira

Mato Grosso ganha nova rota para exportar produção

Alternativa de escoamento facilitará a chegada das cargas ao Terminal Integrador Porto Nacional

04/04/2017 - 06:25:32


Nova rota para escoamento da produção agrícola mato-grossense é inaugurada. A partir desta semana, a produção de grãos das regiões leste e nordeste do Estado poderá ser transportada por meio de duas balsas que farão a travessia dos caminhões por 4 km de margem a margem do rio Araguaia, entre as cidades de Santana do Araguaia (PA) até Caseara (TO). Esta alternativa de escoamento facilitará a chegada das cargas ao Terminal Integrador Porto Nacional, interligado à Ferrovia Norte-Sul e que forma um corredor até o porto de Itaqui, no Maranhão.

O projeto é da VLI, empresa de soluções logísticas que integram terminais, ferrovias e portos. Segundo a empresa, a nova rota de fomento logístico irá diminuir custos e encurtar distâncias para o agronegócio mato-grossense. “Vai favorecer muito quem planta no Nordeste do Estado e também atende a região Leste”, comenta o presidente da Comissão de Logística da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Antônio Galvan.

Segundo ele, a empresa (VLI) intenciona montar um terminal de embarque no município de Alvorada (TO). “Eles lançaram essas balsas grandes para transportar os caminhões, que é mais uma alternativa para os produtores, principalmente dos municípios de Confresa, Vila Rica, Santa Cruz do Xingu, Santa Terezinha, além de Querência e outros da região”.

Para chegar ao Terminal Integrador Porto Nacional pelo novo fluxo, as cargas oriundas do leste e nordeste mato-grossenses e também do sudeste paraense seguirão por caminhão pela BR-158, acessarão a PA-411 até Santana do Araguaia e, de lá, embarcarão nas balsas até Caseara. Depois, seguirão pelas rodovias TO-080 e BR-226 até o terminal. Dos terminais, as cargas seguem pela Ferrovia Norte-Sul e depois acessam a Estrada de Ferro Carajás para chegarem ao porto do Itaqui.

Para oferecer a nova solução logística, a VLI firmou parceria com um consórcio formado por duas empresas, que construiu e agora vai operar as duas balsas. Uma delas terá capacidade para transportar 6 bitrens, enquanto a outra possui espaço para 8 rodotrens. Estão previstas 11 viagens por dia e a capacidade será de transportar 200 mil toneladas de soja por mês.


Fonte: Agro Notícias


Quer receber as notícias do Gaúcha News no seu e-mail? Cadastre-se!