Gaúcha do Norte,14 de Novembro de 2019 - Quinta Feira

Escoamento por portos do Arco-Norte podem melhorar preços do milho

Melhoria do valor recebido pelo produtor seria decorrente a redução do preço do frete

06/04/2015 - 08:43:24


Mato Grosso deverá escoar cerca de 2,5 milhões de toneladas entre soja e milho 2014/2015 por portos do Arco-Norte, mais precisamente Miritituba e Santarém no Pará. A expectativa com o crescimento dos embarques via os portos do Norte brasileiro é que os preços da saca de 60 quilos do milho no Nortão melhorem. Melhoria do valor recebido pelo produtor seria decorrente a redução do preço do frete.
 

Em momentos de pico do escoamento do milho e de supersafras o preço da saca de 60 quilos em Mato Grosso chega a ter variação de R$ 8, como já visto em Sinop nas últimas duas safras, e de R$ 10,50, por exemplo em Lucas do Rio Verde, apenas na região Norte do Estado.
 

O presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Ricardo Tomczyk, ressalta que conforme for ampliando o escoamento da produção, neste caso do milho, pelo Arco-Norte se poderá ver uma inversão de preços. “Essa inversão que falamos seria preço maior em Sinop e menor em municípios como Lucas do Rio Verde, por exemplo, visto a redução que se terá no valor do frete”, explica Tomczyk.


Segundo o superintendente do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), Otávio Celidonio, ainda não há como saber o quanto o valor do frete poderá reduzir ao se optar escoar soja e milho pelos portos de Miritituba e Santarém, no Pará, uma vez que a BR-163 não está completamente asfaltada. “Essa inversão de preço que falamos seria quando a BR-163 ficar pronta”.

Vendas de milho perto dos 50%

Levantamento do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) revela que 42% das 15 milhões de toneladas de milho já foram comercializadas. Conforme o Gestor de Análise de Mercado do Imea, Ângelo Ozelame, hoje a saca de 60 quilos em Mato Grosso de milho encontra-se em média a R$ 15, R$ 16.

O gestor do Imea comenta que para cobrir os custo de produção por hectare (alta tecnologia) médio de R$ 1.972,89 seria necessário a saca ser comercializada em média a R$ 17.

Raio-X do milho

Entre os dias 06 e 10 de abril a Aprosoja-MT realizará mais uma edição do Circuito Tecnológico – Etapa Milho, percorrendo propriedades nas regiões Sul, Norte, Leste e Oeste de Mato Grosso. Ao todo quatro equipes irão se dividir pelas regiões e verificar in loco o andamento da produção da 2ª safra do cereal no Estado, além de aplicar questionários e ouvir os produtores.

“O que se paga pela tecnologia será medido. Essa é uma das oportunidades que o Circuito Tecnológico – Etapa Milho nos traz”, comenta o diretor técnico da Aprosoja-MT, Nery Ribas.

Serão visitadas 150 propriedades e percorridos aproximadamente 10 mil quilômetros. 


Fonte: Portal Matogrosso


Quer receber as notícias do Gaúcha News no seu e-mail? Cadastre-se!